Sorriso – Força-tarefa irá intensificar abordagens a moradores de rua

Aumento no número de moradores de rua tem causado insegurança à população; prefeito autorizou destinação de mais recursos para reforço policial

0
COMPARTILHAMENTOS
83
VISUALIZAÇÕES

Publicações relacionadas

Aumento no número de moradores de rua tem causado insegurança à população; prefeito autorizou destinação de mais recursos para reforço policial

Uma preocupação recorrente no que diz respeito à segurança pública é a presença de moradores de rua. Especialistas e representantes de movimentos sociais afirmam que a população em situação de rua aumentou durante a pandemia e o reflexo disso, dentre outros fatores, é a violência e a perturbação do sossego.

Em Sorriso, o aumento no número de moradores de rua tem causado transtornos e insegurança à população. As constantes abordagens de pedintes a quem passa por ruas, praças e avenidas da cidade muitas vezes vêm acompanhada de ameaça ou violência. Na noite do último domingo (02), o corpo de bombeiros e a Polícia Militar foram acionados para atender a uma tentativa de homicídio que aconteceu no centro da cidade, em que um morador de rua esfaqueou um homem.

Esta demanda está sendo pauta de reuniões nesta semana entre a Prefeitura e as forças de segurança, no sentido de criar uma força-tarefa para intensificar as abordagens às pessoas em situação de rua, principalmente em pontos de maior circulação deles, como a Rodoviária Municipal e a Praça da Juventude. Ontem (04) os secretários de Assistência Social, Jucélia Ferro; de Segurança Pública, Trânsito e Defesa Civil, José Carlos Moura; e de Governo, Hilton Polesello estiveram reunidos com o prefeito Ari Lafin para debater o assunto. Agora pela manhã (05), o tema foi tratado com o Major Inácio, da Polícia Militar e o delegado de Polícia Civil, Márcio Henrique Almeida Portela.

“Esse é um assunto delicado e precisamos saber como lidar. São seres humanos e devemos ter tato e empatia, porém precisamos amenizar essa situação que está tirando o sossego da população”, disse o prefeito.

Além de solicitar que sejam intensificadas as abordagens, Ari autorizou a destinação de mais recursos para reforçar o policiamento nas ruas de Sorriso, por meio da jornada delegada de policiais.

“Sabemos que o que leva, muitas vezes, as pessoas à situação de moradores de rua são problemas de saúde mental, dependência química e o alcoolismo. Mas, muitos se aproveitam dessa situação para cometerem crimes e perturbar quem anda pela cidade. Faremos abordagens conjuntas na busca de ajudar essas pessoas, através dos programas que a Prefeitura oferece e, consequentemente, deixar a população mais tranquila”.

Acolhida especializada

A Secretaria Municipal de Assistência Social (Semas) realiza o trabalho de acolhimento e direcionamento da população que reside nas ruas. A abordagem social às pessoas em situação de rua é feita todos os dias pelo Centro de Referência Especializado de Assistência Social (CREAS). O trabalho reforça a campanha “Não dê esmola, dê cidadania”, lançada pela pasta em 2018.

Durante as abordagens, os moradores de rua são sensibilizados a aderirem ao serviço de acolhimento provisório ou então receberem auxílio no retorno ao mercado de trabalho ou à sua família ou cidade de origem. Cabe ressaltar que nestas abordagens os profissionais não podem obrigar a pessoa em situação de rua a aderir ao serviço ofertado. Porém, a equipe realiza um acolhimento humanizado na tentativa de tirá-las das ruas, mas a resistência é forte por parte desta população. A secretária Jucélia reforça que os munícipes têm um papel importante nesse processo, não dando esmolas às pessoas em situação de rua e sim encaminhando ao CREAS.

“É claro que, quando vemos uma pessoa nessa situação sentimos compaixão e acabamos ajudando. Porém, dando esmolas e não encaminhando a um serviço especializado, impedimos que essas pessoas saiam da situação de rua e passem a ter uma vida digna”, explica. “Estaremos intensificando as ações no sentido de garantir a segurança e bem-estar de todos, porém precisamos do apoio da população, não dando esmolas e denunciando os casos de perturbações para que as forças de segurança possam tomar as providências cabíveis” reforça a gestora.    

 

  

Autor: Fabiola Ost
Crédito de imagem: Decom

Próxima postagem

Discussão sobre isso post

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

NAVEGAR POR CATEGORIAS

Welcome Back!

Login to your account below

Create New Account!

Fill the forms bellow to register

Retrieve your password

Please enter your username or email address to reset your password.

Add New Playlist